O surgimento dos fornos micro-ondas

Como surgiram os fornos micro-ondas


O primeiro período desta história começou com as descobertas das ondas de rádio por HERTZ. Na época, ele pesquisava centelhas elétricas. Sua atenção foi desviada por faíscas que apareciam entre massas metálicas. A partir daí, atribuiu os resultados obtidos às ondas elétricas que ele próprio colocou em evidência através de suas experiências em 1888.

Faltava apenas um gerador mais potente, pois o magnetron só veio a ser desenvolvido em 1918. A Raytheon, que dispunha de um enorme magnetron para radares, foi a primeira a fabricar fornos para cozer alimentos. O primeiro forno de micro-ondas instalado a bordo de um avio foi utilizado para aquecer pratos congelados a uma temperatura de 79C.

A ideia de usar micro-ondas para uso doméstico somente apareceu em 1946 nos EUA. com o Eng. Eletrônico Percy Lewbaron Spencer. Certo dia, Spencer saiu de casa colocando no bolso da calça uma barra de chocolate. Horas depois, já em seu laboratório, estava ele testando o magnetron utilizado em radares de avião. Em dado momento, resolveu comer o chocolate. Percebeu então que havia derretido, ciente de que as micro-ondas geravam calor, supôs que o chocolate teria ficado muito próximo das ondas que escapavam do tubo do magnetron. Intrigado, pois não sentira calor algum, resolveu fazer a segunda experiência: comprou milho e colocou em um recipiente de vidro na frente do tubo do magnetron. Como resultado, em poucos minutos o milho estava estourando para todos os lados. Spencer foi mais além: colocou um ovo dentro de um pote com um pequeno buraco na lateral voltado para o magnetron. Minutos depois, resolveu olhar o que havia dentro do pote e foi surpreendido com uma explosão em pleno rosto. Spencer não tardou a entender o que aconteceu, ou seja, o ovo tinha cozinhado de dentro para fora e a casca totalmente fechada ao romper explodiu em seu rosto devido à pressão. Perguntou a si mesmo “se um ovo pode ser cozido tão rapidamente, porque não outros alimentos Certo que sim, ele então tratou de desenvolver um forno que tirasse um máximo proveito das micro-ondas. Não foi uma tarefa difícil, já que o principal componente, “o magnetron”, estava bastante aperfeiçoado.

Assim em 1952, surgiu o primeiro forno de micro-ondas que, por seu tamanho, parecia mais um refrigerador pois a quantidade de fios e válvulas deixava apenas um pequeno espaço para o forno propriamente dito. Inicialmente as vendas ficaram restritas a alguns restaurantes e empresas fornecedoras de alimentos que acreditavam no “radar range” nome com o qual Spencer patenteou o invento.

O forno não teve muita aceitação comercial devido ao seu aspecto de artefato bélico, talvez porque a Raytheon, a empresa de Spencer tenha sido fornecedora do exército americano no setor de defesa antiaérea. Por isso, as primeiras remessas encalharam nas lojas. Somente em 1953 o forno começou a fazer sucesso, já então fabricado por outras empresas com designer de um verdadeiro eletrodoméstico com proporções compatíveis e espaço disponível numa cozinha normal.

Num forno de um fogão convencional os alimentos são aquecidos por etapas, a chama aquece as paredes e as grades do forno, que por sua vez transmitem calor à assadeira. Esta então aquece os alimentos, o ar quente ajuda a dar o dourado característico dos assados. No forno de micro-ondas, o aquecimento é direto. O principal alvo é a água dos alimentos. As micro-ondas atravessam os vidros, cerâmica, porcelana, plástico, papel, madeira etc., como se fossem transparentes. O mesmo acontece com o ar no interior do forno, que não se aquece.

As moléculas de água absorvem as micro-ondas iniciando um movimento vibratório na mesma frequência gerada pelo magnetron cerca de 2,45 milhões de ciclos por segundo (2.450MHz). Essa vibração gera calor sucessivamente, fazendo com que as micro-ondas penetrem no alimento de 2,5 a 5 cm de profundidade. O aquecimento é uniforme e permite diminuir sensivelmente o tempo de cozimento do alimento. No forno, as paredes metálicas não são aquecidas porque refletem as micro-ondas como espelho, por essa razão não se deve usar recipiente de metal. Por último, um prato giratório faz com que o alimento seja atingido uniformemente. Devido ao rápido cozimento, a parte externa de um rosbife, por exemplo, assará depressa enquanto o seu interior permanecerá cru.

Por isso, para que a carne não fique crua, é necessário limitar o funcionamento do magnetron, ligando e desligando durante um certo intervalo de tempo para que o calor se distribua por igual. Esse liga e desliga é realizado automaticamente pelo forno, que dispõe de uma programação para cada tipo de alimento.

Os primeiros fornos comerciais utilizados em hotéis e restaurantes tinham potência que variava entre 1 a 3 kW. A partir de 1966 surgiram os primeiros aparelhos com potência entre 600 e 900 Watts, de uso doméstico, com sensores de temperatura, douradores e funções automáticas, continuando a evolução até os dias atuais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.