Portal da Refrigeração
Google
Feeds do Portal da Refrigeração Portal da Refrigeração também  está no Twitter Veja os vídeos do Portal da Refrigeração sobre ar-condicionado e refrigeração no YouTube

Evaporadores

parte 4

  • de expansão seca, direta ou D-X;
  • inundados;
  • tubo liso;
  • tubos e aletas, superfície de placas;
  • sistemas de água gelada;
  • capacidade do evaporador;
  • capacidade do evaporador e controle de carga

1 2 3 4 5

Uma capacidade incorreta do evaporador gerará um aumento indesejável da temperatura do ambiente ou do produto.

A primeira causa é o resultado de um erro de engenharia (projeto). Mas, se o sistema já proporcionou uma capacidade correta em condições de carga máxima, não é essa a causa.

Filtros sujos podem reduzir a circulação do ar dentro dos evaporadores resfriadores a ar; isso reduz a capacidade de resfriamento. O acúmulo de gelo na serpentina também pode bloquear a circulação do ar. Detritos dentro da rede de dutos, ou obstáculos que reduzem a descarga do ar e as entradas de ar surtem o mesmo efeito. A sujeira presente num ar incorretamente filtrado se incrusta nos evaporadores, o que reduz a transferência de calor nas aletas e nos tubos. Isso também reduz a eficiência e a capacidade. Problemas nas bombas e válvulas podem bloquear ou diminuir a circulação da água ou do brine no cooler, reduzindo, portanto, a capacidade do mesmo. Uma manutenção insuficiente ou errada no lado da água gera um acúmulo de depósitos. Esse acúmulo pode reduzir a eficiência e capacidade de evaporadores D-X e/ou inundados. Uma eficiência e capacidade menores de um evaporador se traduzem por custos operacionais mais altos.

Esses problemas geram uma temperatura alta demais no espaço ou produto que está sendo resfriado. Salvo um erro de subdimensionamento, essa temperatura alta é acompanhada por uma temperatura saturada baixa na entrada do compressor (temperatura de sucção).

Capacidade de carga parcial

Numa certa medida, a capacidade do sistema de refrigeração "flutua" com a carga. O sistema, por sua própria natureza, ajusta automaticamente a capacidade para cima quando a carga aumenta, enquanto a ajusta para baixo com a redução da carga.

Examinaremos um caso de redução de carga para demonstrar esse fato. Primeiro, devemos assumir que um sistema tem estado operando em condições de carga máxima. À medida da redução da carga, uma quantidade menor de calor fica disponível para ser absorvida pelo evaporador.

Como evaporador só pode absorver o calor disponível, há uma redução na quantidade de calor absorvido no refrigerante. Consequentemente, fica menor a quantidade de refrigerante líquido que se transforma em vapor dentro do evaporador. O compressor, no entanto, continua a succionar refrigerante em forma de vapor para fora do evaporador com a mesma velocidade que antes. O resultado é que a pressão dentro do evaporador é diminuída um nível inferior à que o sistema operava à plena carga.

À medida da redução da pressão sobre o refrigerante no evaporador, diminui também sua temperatura de saturação. Em suma, a temperatura saturada do evaporador tende a cair com a redução da carga.

1 2 3 4 5

Veja também:

comments powered by Disqus
Consulte aqui seu_nome@email.refrigeracao.net
Google

Portal da Refrigeração e ar-condicionado - Política de Privacidade - Um site da HHC Internet